Arquivo do blog

sábado, 3 de julho de 2010

LARANJAS IRRITANTES



LARANJAS IRRITANTES


Quem achou que iria ver a seleção brasileira tomar suco de laranja no jogo contra a Holanda enganou-se. O que vimos foi onze laranjas irritantes em um final de dia inspirado na África do Sul.
Logo depois do jogo começou imediatamente a caça às bruxas. Nas entrelinhas das perguntas feitas à comissão técnica e aos jogadores se percebia a seguinte indagação: afinal de contas, de quem foi a culpa pela desclassificação do Brasil?
A culpa foi do pouco carismático Dunga? Do afobado Felipe Melo? Do bem comportado Júlio Cezar? Das vuvuzelas ensurdecedoras? Ou terá sido do mordomo? Em minha opinião, este não é um bom momento para especulações acerca dos culpados e nem para eleger um “Jesus Cristo” a ser crucificado e espiar o pecado de 180 milhões de brasileiros.
Não creio que a culpa foi de Dunga, mesmo que ele tenha feito uma substituição pouco recomendável no final do jogo. Também não creio que a culpa foi do Filipe Melo, esse rapaz de sangue caliente, e nem de Júlio Cezar, o melhor do mundo, mas que demonstrou um certo nervosismo durante a partida.
Em minha opinião este foi paradoxalmente o jogo mais convincente da seleção brasileira em toda a copa. A derrota e a conseqüente desclassificação foi apenas um acidente de percurso, aquilo que poderíamos chamar de fatalidade, ainda que ajudada por certos detalhes.
A Holanda venceu o jogo não por que jogou melhor do que a seleção brasileira, mas simplesmente por que errou menos. Voltamos para casa por causa de duas falhas comuns em dois momentos cruciais do jogo e que acontecem com qualquer seleção por melhor que ela seja.
Portanto, dessa nossa triste eliminação na Copa do Mundo da África do Sul podemos tirar uma importante lição: nem sempre o melhor é o campeão, e sim aquele que erra menos!
Podemos também afirmar sem medo de errar que o nosso sangue caliente contribuiu para a construção do inesperado resultado. O êxito da Holanda contra o Brasil representou a vitória da razão contra a emoção (placar final: emoção 1 X 2 razão).
Os nossos sentimentos à flor da pele são muito bons quando o assunto é festa e carnaval, mas em se tratando de quartas de final de copa do mundo vale mais o comportamento glacial europeu do que essa torrente de emoções que invade os corações latinos nos momentos decisivos.
Em último lugar, digo sem ter medo de errar, que nós fomos vencidos pela própria irregularidade da seleção como um todo que se apresentou ao longo da copa como uma verdadeira montanha russa, subindo e descendo. A vitória da Holanda foi a vitória da regularidade de uma seleção que não oscilou em um único momento, nem mesmo depois de ter sofrido o primeiro gol.
Não posso negar que estou triste como todos os brasileiros estão, mas pensando melhor, talvez seja mais racional esquecer esta triste copa, afinal de contas, os jogadores da seleção continuarão ganhando os seus salários milionários e eu trabalhando pesado para sobreviver, como diria Cazuza, "da caridade de quem me detesta!"
Sou um homem místico, embora não seja supersticioso, mas quando a minha filha me disse ontem pela manhã que havia sonhado tentando tocar um vuvuzela da qual nem um som saiu, pensei cá com os meus botões: estamos fora!
Concluo dizendo mais uma vez que a culpa não foi de ninguém. Não foi de Dunga e nem dos sete anões, não foi de Felipe Collor de Melo e nem de Júlio Cego, mas... espera aí... O Mick Jaeger estava no campo torcendo para o Brasil não estava? Ah, meu Deus, eu odeio os Rolling Stones.
Ainda bem que o antigo namorado da Luciana Gimenez também resolveu torcer pela Argentina, caso contrário, além de termos sido eliminados da copa teríamos que ter suportado a nudez ridícula do Maradona.

André Pessoa

2 comentários:

  1. Ola André.
    Desta vez vou discordar um pouco da sua opinião. Acho que existe um culpado e este é o capitalismo que patrocina e subsidia a nossa seleção. Ricardo Teixeira colocou como técnico alguém que não iria discordar das suas vontades e deu no que deu. Não poderiamos deixar de convocar o Kaká, mesmo em fase de recuperação. Dunga falou no dia da escalação: " Ele se recupera durante a Copa." Robinho não vinha jogando bem na Europa, veio para o Santos e os "meninos da Vila" salvaram sua imagem. E isso não aconteceu somente com eles. Mas o que aconteceu é em razão das empresas de esporte (Nike, Adidas e outras). Investiram uma nota pesada nestas pessoas e não havia como deixá-las de fora.
    Me lembro que o Dunga falou que a Copa de 2014 era a Copa de Ganso e Neymar. Como ele pode prever algo assim?
    Mas eu acho que o Dunga é culpado sim, não de tudo, mas em parte. Por aceitar o cargo para o qual não tinha competencias, por não ouvir o povo na escalação e por esconder a seleção após convocação. Ele esqueceu que a Seleção Brasileira é do povo. Ele se esqueceu que o Brasil é o país do futebol e que não jogamos da forma mediocre que ele quiz implantar, cópia autentica da falta de criatividade dos técnicos europeus.
    Mas tem um detalhe, suco de laranja de primeira é mais saboroso.
    Grande abraço
    Allis

    ResponderExcluir